Vantagens de aplicar no Tesouro Direto


Segurança

 

 

Os títulos públicos são os ativos de menor risco da economia, pois são 100% garantidos pelo Tesouro Nacional, ou seja, o Governo Federal garante o seu pagamento.

 

Vale ressaltar que uma vez adquiridos os títulos públicos, eles são registrados sob titularidade do comprador no ambiente seguro da BM&FBOVESPA. Isso reforça a segurança do Programa, pois permite ao investidor mudar de instituição financeira, na eventualidade de problemas com o seu agente intermediário original, sem colocar em risco a sua aplicação.

 

Além de ser a alternativa de investimento com menor risco do mercado, o Tesouro Direto oferece mecanismos para que você possa acompanhar os seus investimentos com facilidade, ampliando sua segurança. Além você obter informações sobre suas aplicações no extrato da sua corretora, a área exclusiva do investidor, no site do Tesouro Direto, também disponibiliza o registro de todas as movimentações do seu investimento e pode ser consultada por meio do Canal Eletrônico do Investidor (CEI), serviço via internet prestado pela BM&FBOVESPA.

 

 

 

Rentabilidade Competitiva

 

 

Sem dúvida este é um dos pontos mais importantes quando o assunto é investimento.

 

O rendimento da aplicação em títulos públicos é bastante competitivo se comparado com as outras aplicações financeiras de renda fixa existentes no mercado.

 

No Tesouro Direto, você pode obter os mesmos ganhos que um grande banco ou um fundo de pensão, por exemplo. Ainda, as taxas de administração e de custódia são baixas e o Imposto de Renda só é cobrado no momento da venda, pagamento de cupom de juros ou vencimento do título. Muitas corretoras existentes no mercado não cobram a taxa de administração. Dessa forma, ao combinar alta rentabilidade bruta e baixo custo, seu investimento apresentará uma maior rentabilidade final.

 

 

Custos

 

O Tesouro Direto tem um custo bastante competitivo comparado aos Fundos de Investimento. Esses normalmente cobram menores taxas quanto maiores os valores investidos. Por exemplo, num banco de varejo, para que o investidor pague 0,5% de taxa de administração, costuma-se exigir um investimento mínimo de R$ 500 mil. Já no Tesouro Direto, você consegue essa taxa aplicando apenas R$ 30,00.

 

São duas as taxas cobradas no Tesouro Direto:

 

– taxa de custódia da BMF&Bovespa de 0,3% ao ano, referente aos serviços de guarda dos títulos e às informações e movimentações dos saldos;

– taxa das instituições financeiras que varia de 0% a 2% ao ano, independente do valor do seu investimento. No final desta página, você poderá consultar a lista das instituições habilitadas e a taxa que elas cobram.

 

 

Tributação

 

Os impostos cobrados sobre as operações realizadas no Tesouro Direto são os mesmos que incidem sobre as operações de renda fixa, como fundos de investimento e CDBs: IOF regressivo (para aplicações com prazo inferior a 30 dias) e IR regressivo, conforme abaixo:

 

22,5% até 180 dias
20% de 181 a 360 dias
17,5% de 361 a 720 dias
15% acima de 720 dias

 

 

No Tesouro Direto não existe a figura do “come cotas”, como nos fundos. O Imposto de Renda só é cobrado no vencimento do título, no recebimento de juros semestrais ou em caso de venda antecipada.

 

Os dias para efeito de incidência de imposto de renda são contados a partir da data da compra. Portanto, sobre os juros semestrais dos títulos Tesouro Prefixado com Juros Semestrais (NTN-F) e do Tesouro IPCA+ com Juros Semestrais (NTN-B) serão aplicadas as alíquotas do Imposto de Renda previstas, com o prazo contado a partir da data de início da aplicação.

 

Veja o quadro abaixo que mostra as alíquotas de IR incidentes sobre os pagamentos semestrais de juros (cupons):

 

 

 

 

 

Não há “come cotas”

 

 

Como mencionado acima, outra vantagem do Tesouro Direto sobre os Fundos de Investimento é o fato de que nos títulos públicos há a ocorrência do famoso “come cotas”, que é uma antecipação da cobrança do imposto de renda (IR) devido sobre o rendimento da aplicação.

Essa antecipação do desconto do IR, que ocorre a cada seis meses, prejudica a rentabilidade final do investimento, pois reduz o volume de recursos sobre o qual incidirão os juros. No longo prazo, a diferença de rentabilidade do TD frente a do fundo pode ser significativa, como ilustra a simulação abaixo.

 

 

Liquidez

 

O Tesouro Nacional garante a recompra diária dos seus títulos públicos. Ou seja, você poderá resgatar antecipadamente os títulos adquiridos no Tesouro Direto todos os dias, a preços de mercado.

 

Os resgates solicitados nos dias úteis das 9h30 às 18h serão processados com os preços e taxas disponíveis no momento da transação. Os resgates solicitados das 18h às 5h e ao longo de todo o fim de semana ou feriado serão liquidados com os preços de abertura do dia útil seguinte. Nesse período, os preços e taxas exibidos no site do Tesouro Direto são apenas para referência.

 

A liquidação da venda ocorrerá em D+1, onde D representa o dia em que a operação de venda pelo investidor foi realizada. Se essa operação tiver sido realizada nos fins de semana ou feriados, a liquidação ocorrerá no dia útil subsequente.

 

 

Acessibilidade

 

Com apenas R$ 30,00 você já pode investir no Tesouro Direto. Não é preciso nem muito dinheiro para começar a investir nem ser um especialista em investimentos. Qualquer pessoa física com CPF e conta em uma instituição financeira habilitada pode se tornar um investidor do Tesouro Direto.

 

 

 

Flexibilidade

 

Com o Tesouro Direto, você pode planejar o seu ganho montando sua própria carteira de acordo com o seu perfil e objetivos financeiros. Você tem autonomia para gerenciar seus investimentos e ainda pode agendar suas aplicações com antecedência e regularidade. Para isso, o Tesouro Direto oferece diversas opções de acordo com:

 

• Taxa de rentabilidade: títulos prefixados, indexados à taxa Selic ou à inflação;

 

• Prazos ou vencimentos: variadas datas de vencimento, que permitem a adequação da sua carteira à sua necessidade financeira;

 

• Fluxos de pagamento: você pode escolher títulos para receber o rendimento total somente na data de vencimento, ou escolher títulos que pagam juros semestrais.

 

 

Ainda, uma vez comprados os títulos, você tem a garantia de receber os rendimentos dessa aplicação até o vencimento do papel (data predeterminada para o resgate do título), quando os recursos serão depositados na sua corretora com o rendimento combinado. Mas sempre que precisar, você poderá vendê-los antes de seu vencimento ao Tesouro Nacional, pelos seus valores de mercado.

 

 

Fonte: Tesouro Direto

O que é uma instituição financeira habilitada?

Entenda cada Título no detalhe